Fale Pelo WhatsApp

(27) 98127-3289

Siga-nos :

A importância do acompanhamento e prevenção de doenças crônicas

As doenças crônicas, como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares, são responsáveis por uma grande parcela da mortalidade e morbidade no mundo. O desenvolvimento de estratégias para o acompanhamento e prevenção dessas doenças é fundamental para melhorar a qualidade de vida da população.

O que são doenças crônicas?


As doenças crônicas são aquelas que persistem por um período prolongado, geralmente a partir de três meses, ou acompanham o indivíduo por toda a vida. Embora não representem um risco imediato à vida, como nas emergências médicas, essas condições exigem atenção contínua para garantir longevidade e qualidade de vida.

O acompanhamento regular com médicos e outros profissionais de saúde é essencial para o manejo e controle adequado de doenças crônicas.

Esse cuidado contínuo permite monitorar a evolução da doença, prevenir complicações, ajustar o tratamento conforme necessário e promover a adoção de hábitos saudáveis que contribuam para o bem-estar geral.

Importância do monitoramento contínuo de doenças crônicas

 

Embora muitas doenças crônicas não possuam cura definitiva, elas podem ser efetivamente controladas através de um gerenciamento adequado. Nesse contexto, o acompanhamento médico regular assume papel fundamental na vida do paciente, visto que essas condições tendem a persistir ao longo da vida.

A avaliação periódica pelo profissional de saúde permite monitorar a evolução da doença, avaliar a eficácia do tratamento farmacológico e realizar ajustes terapêuticos quando necessários. Além disso, o médico pode fornecer orientações sobre hábitos saudáveis, dieta balanceada, prática regular de exercícios físicos e controle do estresse, os quais contribuem significativamente para o bem-estar geral e o controle da doença.

O acompanhamento médico regular não se trata apenas de consultas presenciais, mas também do diálogo contínuo entre o paciente e a equipe de saúde. Nesse sentido, é importante que o paciente mantenha contato com seu médico ou enfermeiro sempre que surgirem novas dúvidas ou sintomas, permitindo uma intervenção precoce e evitando complicações.

 

Neste cenário, a telemedicina veio para transformar o cenário de acompanhamento e cuidado dos pacientes com doenças crônicas, pois possibilita consultas mais frequentes com médicos e demais profissionais de saúde sem a necessidade de deslocamento do paciente e menor custo operacional, mas mantendo a qualidade assistencial e a adesão aos programas, justamente por proporcionar a possibilidade de recorrência necessária para seguir corretamente as orientações e medidas clínicas indicadas para a patologia em questão. 


Responsabilidades e obrigações dos médicos no acompanhamento regular de pacientes com doenças crônicas

Os médicos desempenham um papel crucial no acompanhamento regular de pacientes com doenças crônicas, assumindo diversas responsabilidades e obrigações para garantir o bem-estar e a qualidade de vida desses indivíduos. Neste contexto, a utilização da telemedicina ajuda sobremaneira a execução satisfatória do acompanhamento médico necessário.  Dentre essas responsabilidades, destacam-se as seguintes:

 

  • Realizar anamnese completa e detalhada: O médico deve coletar informações abrangentes sobre a história clínica do paciente, incluindo histórico familiar, histórico médico, sintomas atuais, medicamentos em uso e hábitos de vida.
  • Realizar exames físicos e complementares: O médico deve realizar exames físicos periódicos, no formato presencial ou por telemedicina, para avaliar o estado de saúde do paciente e solicitar exames complementares, como exames de sangue, imagem ou biópsia, quando necessários, para auxiliar no diagnóstico e monitoramento da doença crônica. 

 

  • Estabelecer um plano de tratamento individualizado: Com base nas informações obtidas, o médico deve elaborar um plano de tratamento personalizado para cada paciente, considerando suas condições clínicas, preferências e estilo de vida. O plano de tratamento pode incluir medicamentos, orientações nutricionais, recomendações de atividade física e estratégias de manejo comportamental. 

 

  • Acompanhar a evolução da doença e ajustar o tratamento conforme necessário: O médico deve realizar consultas regulares para monitorar a evolução da doença crônica, avaliar a eficácia do tratamento e realizar ajustes terapêuticos quando necessários. 

 

  • Educar e orientar o paciente: O médico deve fornecer informações claras e compreensíveis sobre a doença crônica, seu manejo e as possíveis complicações. Além disso, deve orientar o paciente sobre a importância da adesão ao tratamento e da adoção de hábitos saudáveis. 

 

  • Coordenar o cuidado com outros profissionais de saúde: Em casos de doenças crônicas complexas, o médico deve coordenar o cuidado com outros profissionais de saúde, como enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas e psicólogos, para garantir um atendimento multidisciplinar e abrangente. 

 

  • Respeitar a autonomia do paciente: O médico deve respeitar a autonomia do paciente, envolvê-lo nas decisões de tratamento e considerar suas preferências e valores. 

 

  • Documentar o cuidado prestado: O médico deve manter um prontuário médico completo e atualizado, documentando todas as consultas, exames realizados, medicamentos prescritos e orientações fornecidas ao paciente.

 

Responsabilidades do paciente e cuidados essenciais para o manejo de doenças crônicas

 

  • Consultas médicas regulares: Seguir as recomendações médicas para consultas periódicas é fundamental para avaliar o estado de saúde, realizar exames necessários e ajustar o tratamento conforme a progressão da doença.

 

  • Adesão ao tratamento: Tomar medicamentos prescritos conforme as orientações médicas, seguir uma dieta balanceada e praticar atividades físicas regularmente são medidas essenciais para controlar a doença e melhorar a qualidade de vida.

 

  • Monitoramento de sintomas: Estar atento ao surgimento de novos sintomas ou mudanças no quadro clínico da doença e comunicar ao médico responsável é crucial para um manejo adequado da condição.

 

  • Adoção de hábitos saudáveis: Manter um estilo de vida saudável, incluindo uma alimentação balanceada, prática regular de exercícios físicos, controle do estresse e sono de qualidade, contribui significativamente para o controle da doença e promoção do bem-estar geral.


EBRAMED: formação humanizada de médicos preparados para o futuro

 

Com a crescente demanda por profissionais de saúde no Brasil, especialmente na área de Medicina da Família e Comunidade, a Escola Brasileira de Medicina (EBRAMED) se destaca como uma referência nacional na formação complementar. O Brasil precisa formar mais 28 mil profissionais nos próximos anos para atender aos parâmetros mínimos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

A EBRAMED, ciente dessa necessidade, tem expandido seus cursos, com ênfase na Pós-Graduação em Medicina da Família e Comunidade. Comprometida em equalizar a formação dos profissionais de saúde, a instituição visa não apenas suprir a demanda crescente, mas também melhorar expressivamente a qualidade do atendimento à população em geral, incluindo o preparo médico para adequada e proveitosa utilização do atendimento por telemedicina.

 

Ao escolher a Pós-Graduação em Medicina da Família e Comunidade na EBRAMED, os profissionais garantem:

  • Prática médica de qualidade, aliando teoria e experiência prática.
  • Possibilidade de estágio, proporcionando uma vivência real no campo de atuação.
  • Formação e atuação sólida por Telemedicina, expandindo o acesso aos pacientes.
  • Oportunidades de efetivação em grandes instituições de saúde do Brasil.

 

Matricule-se agora na Pós-Graduação em Medicina da Família e Comunidade da EBRAMED e faça parte de uma formação que atende às demandas contemporâneas da saúde.

 

Clique aqui para falar com um consultor e iniciar sua jornada rumo a uma carreira de sucesso na área médica.10

Tags :

Compartilhe:

Baixar conteúdo programático

Baixe o conteúdo programático e confira as informações do coordenador, os objetivos, a descrição dos módulos e os diferenciais do curso.